Corte de cabelos em barbearias

          Quem nunca teve vontade de matar o cabeleireiro que fez aquele corte medonho no seu cabelo que atire a primeira pedra.
O cliente chega naquele salão arrumadinho e é recebido pela recepcionista sorridente, envergando aquele pretinho básico. Ela confere seu nome na lista de clientes do dia, oferece uma água ou cafezinho e pede para você aguardar um pouco. Você lê todas as revistas de fofocas velhas que estão no cesto e finalmente é chamado para lavar os cabelos e em seguida vai para a cadeira onde é recebido por sua majestade o cabeleireiro.
A criatura olha com desdém para seu cabelo molhado, pergunta se você tem alguma preferência para o corte e então pega uma tesoura comprada há anos e que funciona perfeitamente bem até aquele dia e começa a fazer o corte. Corta daqui, corta dali e poucos minutos depois diz que está tudo pronto, pega um espelho e mostra como ficou o corte na parte de trás.
Quando você olha para o espelho e vê sua imagem refletida de frente e de costas custa a acreditar na cagada que o sujeito acabou de fazer com o seu lindo cabelo. Você chega a pensar que foi de propósito, e que o sujeito deve odiar cabelos femininos. O infeliz ficou horas fazendo um corte masculino e não gastou mais do que alguns minutos para detonar um cabelo que você cuida com todo amor e carinho há anos. O pior de tudo é que não adianta gritar ou fazer escândalo porque suas lindas madeixas estão espalhadas pelo chão e não tem volta.
Você respira fundo, conta até mil para acalmar e vai pagar a conta. É nesta hora que sua vontade de matar o sujeito cresce exponencialmente. A conta é um verdadeiro absurdo, um assalto. O corte que destruiu seu cabelo é caríssimo e você não tem como se recusar a pagar pela porcaria de serviço que aquele cabeleireiro acabou de fazer em sua cabeça. Alguém já parou para pensar no lucro que o sujeito tem para fazer um corte de cabelo? O profissional usa apenas uma tesoura afiada e mais nada.
Já passei por este tipo de raiva algumas vezes e da última, quando o sujeito destruiu meus cabelos e precisei cortar curtinho em outro salão para ver se minimizava o estrago, decidi que aquela seria a última vez que eu iria pagar caro para cortar meus cabelos (ou melhor: estragar meus cabelos).
Por causa deste tipo de atitude e por achar extorsivos os preços praticados pelos salões de cabeleireiros eu desisti de cortar meu cabelo em salões e agora só corto em barbearia. Isto mesmo, em barbearia, daquelas bem masculinas e sem o menor glamour.  A que eu frequento é de uma simplicidade franciscana: são três cadeiras antigas, o espelho, uma cadeira para lavar a cabeça, um sofá para lá de antigo e nada mais. Os três profissionais que atendem na barbearia já passaram dos sessenta e são muito simpáticos e atenciosos com todos os clientes, seja homem ou mulher. Eles atendem sem a menor pressa e fazem o corte com todo cuidado e capricho e o melhor, cobram um preço justo.
Resolvi manter o cabelo curtinho desde o último desastre com o corte há mais ou menos dois anos. O Sr. João capricha no cuidado e fica mais de quarenta minutos cortando, aparando e ajeitando meus fios agora brancos e rebeldes. Sempre conversamos enquanto ele faz o corte e ele comentou hoje comigo o cuidado que precisa ter para domar os redemoinhos que tenho na cabeça, para não deixar meu cabelo espetado.
Hoje quando levantei da cadeira para sair da barbearia notei que pelo menos uns cinco homens de diferentes idades aguardavam ser atendidos. Eu era a única mulher no pedaço.

3 Responses
  1. Adorei a ideia, desde que tive meus cabelos de volta, já que com esse novo protocolo eles não caem muito , MORRO DE MEDO de me tosarem os preciosos fios, encaracolados, rebeldes e tão meus.Ainda não penso nem em dar umas aparadinhas, tenho dó, mas qdo os fizer vou aceitar sua ideia viu. E a próxima pausa? Qdo será?


  2. Lou Says:

    Sei como é isto. Depois que meus cabelos cresceram após um longo período em que fiquei careca, eu também tinha o maior cuidado com eles e fiquei mais de ano sem ter coragem de dar uma aparadinha sequer e aí, qdo criei coragem, o cabeleireiro cagou com meus cachos.
    Agora mantenho meu cabelo curtinho.
    Qto a minha próxima pausa? Será em outubro. Vou passar um mês inteirinho viajando. Serão 3 semanas na Bretanha e 1 em Paris. Não vejo a hora de embarcar.
    bjs da Lou


  3. Anônimo Says:

    Mama, acho que você devia tentar deixar o cabelo crescer novamente! Ele estava lindo antes de fazerem aquele meleca...

    Eu tb sou contra os preços praticados por esses salões. Na maioria das vezes eles demoram efetivamente 5 minutos no corte e cobram, no mínimo, setenta reais. Não entendo essa hora supervalorizada... Por isso corto em salões simples tb.


Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. bjs Lou