Alergia a antialérgico?

     Quando fiz o quinto ciclo da nova quimioterapia, antes de cair no sono profundo por causa do antialérgico, percebi que minha mão e parte do antebraço estavam cheios de manchas vermelhas. Chamei minha irmã e pedi que ela chamasse alguém da enfermagem. Aos enfermeiros solicitei que chamassem um médico porque eu, sem sombra de dúvida, estava tendo um processo alérgico.
     Os enfermeiros além de não chamarem o médico de plantão ainda duvidaram que eu estivesse tendo alergia e um deles ainda falou: Você só está tomando soro com antialérgico.  Não é possível que você tenha alergia ao antialérgico. Você já usou esta medicação antes e nunca aconteceu nada. Retruquei: está na cara ou melhor, nas mãos e no antebraço, que hoje estou tendo um processo alérgico. Não é possível que vocês queiram esperar eu ter um choque anafilático para tomar alguma providência. Chamem um médico ou fechem logo o acesso do soro com o antialérgico antes que eu tenha um piripaque.
     O enfermeiro chefe foi até o box onde eu estava e decidiu fechar o acesso por dez minutos para ver o que iria acontecer, mas assim que eles abriram novamente o acesso do soro as manchas vermelhas espalharam pelo antebraço. Percebendo que a coisa era séria eles decidiram retirar o soro com o antialérgico difenidrin e colocaram outro soro com outro tipo de antialérgico para correr na veia. As manchas diminuíram, mas só desapareceram por completo depois que fui para casa.
      Foi um susto e tanto e fiquei imaginando o desastre que teria sido se eu estivesse fazendo a quimioterapia no cateter, pois neste caso a quimioterapia cai direto no coração e até aparecer alguma reação no corpo eu já teria tomado uma grande quantidade do remédio. Eu poderia ter morrido? Talvez, não sei, mas teria sido um problema. Mas, como eu sempre falo, nascemos com prazo de validade e ninguém morre antes da hora. Ou morre?
     No dia seguinte à quimioterapia, às 7 horas da manhã, tive consulta com o Dr. Fernando. Relatei sobre a alergia ao antialérgico durante a quimioterapia e fiz algumas considerações sobre o resultado do exame de sangue que demonstrou que todo o quadro horroroso que eu apresentava como perda de peso, irritabilidade, fraqueza muscular, tonteira e outras coisas ruins eram na realidade consequências do hipertiroidismo, exarcebadas, talvez, pela quimioterapia. A absorção do syntroid deve ter ficado alterada, talvez por causa da nova químio ou sei lá o porque, provocando o problema. Meu TSH chegou a 0,08 quando o ideal é dois.
    O Dr. Fernando decidiu  manter o novo protocolo até o final deste ano e em janeiro farei um novo PET para ver se o câncer regrediu ou não. Vou torcer para que todo o mal estar que senti até agora tenha servido ao menos para diminuir as lesões, mas o que eu queria mesmo era ficar livre do câncer e das sessões de quimioterapia.
      
2 Responses
  1. Nessa Says:

    Vai ficar livre do cancer!!! vou ficar aqui torcendo por vc!!!


  2. Lou Says:

    Que todos os anjos digam amém.
    Obrigada pela torcida Nessa.
    bjs da Lou


Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. bjs Lou