Ponto para mim, continuo vencendo o câncer

Tenho mais um motivo para comemorar: as tomografias computadorizadas do tórax e abdômen total, que fiz após minha incrível viagem pela Escandinávia e Rússia, trouxeram resultados muito animadores. Estou cada dia melhor, pois houve redução dos vários nódulos no baço, no peritônio, no pulmão e em outros órgãos. Os nódulos do mediastino sumiram e o que apertava o nervo e alterava minha voz também sumiu. Meu fígado, rins, adrenais e pâncreas continuam preservados e isto é melhor do que bom, é ótimo. Excelente. Isto significa que o tratamento com o tykerb e o anastrozol está dando certo e eu estou caminhando para ficar cada dia mais curada. Nossa! Isto é bom demais. Tenho muitos motivos para me sentir feliz e quero dividir isto com todos vocês que acompanham minha saga em busca da cura do câncer há tantos anos.
Durante a viagem de três semanas pude perceber que as coisas estavam muito bem comigo porque não senti nada além de uma infame dor nas costas que jamais atribuí a qualquer problema relacionado ao câncer. Tenho certeza de que a dor é muscular e pode estar ligada a algum mal jeito ou coisa parecida, pois é só começar a caminhar que ela piora enormemente. No mais,  passei muitíssimo bem durante toda a viagem que foi um bocado puxada.
Tenho certeza de que levar uma vida mais próxima do normal possível ajuda muitíssimo no tratamento. Procuro me manter sempre em atividade. Faço tudo o que sou capaz de fazer, dentro das minhas limitações e procuro não me sentir infeliz com aquilo que não sou mais capaz de executar. Só agora, depois de mais de quatro anos, voltei a conseguir  dirigir. Fiquei todo este tempo  sem tocar no carro porque a neuropatia periférica que tirou a sensibilidade de minhas mãos e pés não me permitiam sentir os pedais e era impossível dirigir. Depois foi o problema da síndrome pés e mãos provocada pelo xeloda. Deus me livre daquele remédio, pois ele acaba com os pés e as mãos dos pacientes. Só quem toma o xeloda, ou já tomou sabe bem do que estou falando.
Outra coisa que ficou comprometida por algum tempo foi escrever ou digitar qualquer tipo de teclado, fosse um simples telefone celular ou computador. Eu simplesmente não sentia a ponta dos dedos e  não conseguia sentir os objetos, teclar ou segurar uma caneta. Estas simples atividades  eram  tarefa quase impossível. Depois de muito tratamento e remédios, e muita insistência da minha parte, melhorei e hoje já faço tudo isto, embora ainda não sinta completamente a pontinha dos dedos.
Houve um tempo em que perdi minha voz e isto foi muito complicado para mim. É impressionante como a falta da voz ou até mesmo a mudança no timbre faz diferença na percepção que temos de nós mesmos. Me incomodou muito falar quase sussurrando e rouca. Minha voz atual não é mais a mesma de antes, mas já melhorou muito. Sei que não terei mais a voz de soprano que me permitia cantar em coral, mas só de voltar a falar num tom que todos ouvem já é um grande negócio. Até já arrisco cantar um pouquinho, só não consigo alcançar notas altas e fico rouca em pouco tempo, mas não resisto e canto assim mesmo, pois adoro cantar.
Concluí que se eu quero mesmo ficar curada preciso continuar sentindo entusiasmo pela vida, preciso continuar curtindo as coisas que me dão prazer, amando e me sentindo amada, sendo feliz. É claro que a felicidade não é um sentimento duradouro ou linear. A felicidade é a soma de momentos felizes e cabe a nós procurar por estes momentos nas pequenas coisas que fazem a diferença em nossas vidas.

Felicidade é mais simples do que pensamos. Felicidade é um estado de espírito e está em coisas pequenas, no aqui e no agora. Felicidade pode ser simplesmente  dar ou ganhar um beijinho estalado daquele filho amado, do namorado, do cônjuge ou de um amigo especial. É ouvir uma música que nos transporta no tempo e no espaço. É assistir um espetáculo maravilhoso, ou ouvir seu cantor preferido. É cultivar um jardim cheio de margaridas ou flores exóticas, é ler um livro envolvente, é tirar um cochilo na sombra de uma árvore frondosa, é brincar de enxergar figuras nas nuvens daquele céu azul de verão, é viajar pelo mundo.  Felicidade é qualquer coisa que faz você sentir vontade de continuar vivendo, mesmo com todas as adversidades.
4 Responses

  1. Carolyne Says:

    Tão bom lhe ver sorrindo assim!


  2. shan-Tinha Says:

    Adorei tua descrição de felicidade! você é vencedora, forte, corajosa, cheia de vida!
    viva o aqui e agora como ouço na yoga e você escreveu, tenho certeza que o viver aqui e agora será repetido por você infinitamente!
    Ei, quando é que vai sair esse livro hein? tá na hora de começar!
    bj carinhoso e uma semana cheinha de descobertas felizes!


  3. Georgia Says:

    Oi Lou, vou incluir você nos meus momentos de oracao.

    Um grande beijo


Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. bjs Lou