Cuidados paliativos

Desapareci por uns três meses. É que as coisas pioraram um pouco. As dores voltaram com força total e o câncer avançou sem controle sob a pele da mama e da axila, deixando tudo com uma aparência muito ruim. A pele machucada exalava um odor desagradável e deixava tudo muito sensível. Foi necessário fazer uma limpeza mais profunda para tirar a pele morta. Parece que funcionou. A cicatrização, embora lenta, está acontecendo. Não foi nem necessário usar o carvão ativado para mascarar o odor, como as enfermeiras sugeriram.

Nesse período, precisei fazer hidratação inicialmente todos os dias, um litro de soro vitaminado. Depois, a frequência foi reduzida para de três em três dias.  Nas últimas semanas a hidratação foi suspensa, pois meus braços, barriga e pés estão muito inchados.

Para o controle da dor, passei a usar o adesivo Durogesic. A princípio, a dosagem era de 25 mcg. Agora já estou com 150 mcg. Esse adesivo precisa ser trocado a cada três dias. Além disso, ainda tomo morfina, que começou com 10 mg a cada 4 horas e agora podem ser 30mg, até de hora em hora. Tomo, ainda, Pregabalina para amenizar as pontadas que sinto no peito, metadona para tentar controlar a dor no braço direito, que estava me deixando zureta e alguns outros remédios para me auxiliar a dormir, ir ao banheiro etc.

Meu TSH está completamente descompensado. Parece que meu corpo se recusa a absorver a medicação. Já estou tomando Syntroid 225 para tentar baixar, mas o índice que deveria ser entre 0,55 e 4,78, está em 36,2! Faço exames de sangue a cada 15 dias para ajustar a medicação.

Tem sido uma jornada muito difícil.

Como estou fora de possibilidade terapêutica, já que a quimioterapia não faz mais efeito, estou em cuidados paliativos, apenas controlando a dor. Os médicos não sabem precisar quanto tempo me resta, então estou aproveitando o que tenho com minha família e amigos.


Acho que a natureza tem feito um trabalho interessante. Pessoas com quem não falava há muito tempo estão reaparecendo como num passe de mágica. Isso é muito bom, pois são pessoas queridas. A vida acaba afastando as pessoas por um motivo ou pelo outro, e isso não significa desamor ou qualquer coisa do gênero. Então é muito bom poder revê-las antes que a cortina se feche.
5 Responses
  1. Lou, também tive cancer na pele da onde retirei a mama, e como não podia operar fiz radioterapia pela segunda vez, a luta é extremamente dificil , mas não podemos nunca desistir e o hoje é o nosso momento mais importante , também não tenho mais cura , faço quimio para viver um pouquinho mais ... e agradeço a Deus que um dia sem querer te encontrei e mesmo vc não sabendo vc me dava muitas forças e eu ainda acredito na tua força! beijão amiga tamo juntas!


  2. Eu não sei o que te dizer, minha esposa tb passa por situação muito parecida. Eu me sinto seu amigo por tanta semelhança. Acho que só posso dizer, minha amiga, que você nos fez sentir um pouco melhor durante esta jornada. Lutamos junto com você. E espero que você saiba enfrentar td que lhe sobrevir. Até mais...


  3. Oi lou
    Vc sempre tão lúcida e sensata.Sua alegria de viver e seu entusiasmo pela vida foi sua dose diária para seguir em frente.Nao te conheço pessoalmente,mas, sua coragem,bom humor nas adversidades e resiliência são predicados para poucos.
    Se a finitude da sua vida está próxima eu não sei...Só sei que quando ela chegar tenho certeza que vc combateu o bom combate! Vc é um ser admirável



  4. Sinto muito.
    Pessoa inteligente,admirável na sua luta!
    Viveu esse tempo todo com metástases e efeitos adversos das quimios.Mas conseguia focar além! Enxergava belas paisagens ,lugares a explorar e amigos a fazer.Agora,pausa para viajar!


Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. bjs Lou