Quimioterapia - baixa imunidade - granuloquine

     Ontem pela manhã fui novamente ao consultório do Dr. Gustavo Lara, o otorrino que me atendeu semana passada depois da forte crise de zonzeira durante uma consulta com meu oncologista. A tal manobra de Brandt Daroff é realmente mágica, pois resolveu o problema. De qualquer forma precisei fazer a ressonância magnética do crânio e da coluna. O Dr. Fernando solicitou a ressonância do crânio para descartar uma possível metástase no cérebro. A da coluna é por causa da metástase óssea que tenho na vértebra T3 e das fortes dores em minhas costas. Precisamos descobrir a origem dessa dor que me impede até pequenas caminhadas, estragando o meu prazer em andar por aí.
     Hoje estava agendada a segunda dose do novo protocolo de quimioterapia, mas como minha imunidade estava muito baixa o Dr. Fernando achou melhor adiar por mais uma semana enquanto tomo 5 doses de granuloquine. Mais uma vez será necessário tomar esta medicação que deixa meu corpo moído de dor, mas o que não tem remédio...
     Pior que tomar cinco doses de granuloquine é saber que daqui para frente será necessário tomar outras cinco doses após cada quimioterapia. E depois ninguém entende porque não gosto de usar carboplatina. Era tão mais fácil quando eu fazia apenas o Herceptin.
    
1 Response
  1. Na torcida para novos posts de novas viajens


Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. bjs Lou