Dor no câncer metastático ósseo

       Há alguns anos, quando comecei a sentir dores no tórax, depois de um longo tempo de remissão do câncer de mama, foi constatado que eu estava com metástase nos ossos (esterno, arcos costais e  uma vértebra), no pulmão e no baço. Foi uma triste surpresa, mas precisei encarar a nova realidade e iniciar o tratamento. 
        Assim que iniciei o tratamento as dores que eu vinha sentindo no tórax cederam e eu até consegui esquecer o assunto. Agora, após quase 7 anos do início do tratamento, as dores voltaram a incomodar. Dói bastante o tórax, principalmente no esterno. O braço direito e as pernas e pés também doem, mas o que mais incomoda é o tórax e qualquer movimento que faço a dor piora.
          Fiz uma cintilografia óssea que comprovou o avanço da doença nos ossos. O esterno está bem comprometido e este é o motivo das dores atuais. As articulações também estão estragadinhas... coisas da idade também.
          Ontem conversei longamente com a dra. Luci para decidir como ficará meu tratamento daqui para frente, pois desde que fiz uma consulta com outro oncologista, para ouvir uma outra opinião, acabei ficando  mais confusa do que esclarecida. O outro oncologista sugeriu algumas mudanças no tratamento que venho fazendo e mandou que eu parasse de usar o anastrozol. 
          Como não gosto de decidir nada quando estou brava ou confusa, preferi fazer a viagem para Bonito como já estava programada e só depois que voltei da viagem fui conversar com alguns médicos da minha confiança para não precipitar com nenhuma atitude ou decisão insensata que pudesse piorar ainda mais as coisas.
          Minha conversa com a dra. Luci foi ótima. Eu já estava convencida de que usar o zometa para meu caso era melhor do que o denosumabe  sugerido pelo outro oncologista,  e ela confirmou isto. Ela também mandou eu voltar a usar o anastrozol porque ele ajuda a potencializar os efeitos benéficos do zometa. Ela agora vai decidir se eu devo voltar a usar o herceptin sozinho ou associado ao tykerb e ao xeloda. Vamos ver, mas sinceramente eu gostaria de não precisar voltar a usar o xeloda.
          Quanto as dores, já é esperado que isto venha a ocorrer no caso de lesões ósseas que, no meu caso, são blásticas, isto é, o osso parece crescer.  Enquanto puder controlar a dor com medicamento ótimo, mas em último caso, quando os remédios não derem mais a resposta esperada, o jeito será partir para a radioterapia.
7 Responses
  1. Anônimo Says:

    Obrigado por um depoimento tão sincero.


  2. Ale Says:

    Obrigada por compartilhar conosco este problema pelo qual vem passando. Depoimentos como o seu nos mostra que não somos os únicos e que há diversas formas de se se conviver com o câncer. Desejo a você muita força e vibrações positivas. Viver é maravilhoso. Desistir jamais!


  3. Lou Says:

    Obrigada pela torcida Ale. Concordo com você: viver é maravilhoso. Desistir jamais. Um abraço carinhoso da Lou


  4. Oi,bom dia!!!Estava andando pela internet procurando algo q me confortasse um pouco.
    Tive câncer de mama e depois de quase 6 anos uma metástase no esterno de lá pra ca trato com medicamento oral o Tamoxifeno mas o q me deprime mesmo são as dores...
    Fiz alguns exames ,minha taxa hormonal ta alta ,meu médico mandou fazer uma cirurgia para a retirada do ovário mas por problemas na minha internação (falta de vaga) a cirurgia foi desmarcada.Nem quero mais fazer pois já vou completar 45 anos ,creio q agora a menopausa vem "tranqüila" rsrsrs.
    Hoje tenho médico vamos ver o que fica resolvido.
    Obrigada por tudo q escreveu estou mais animada.
    Obrigada e que Deus a abençoe.


  5. Lou Says:

    Olá Eugenia,
    Já convivo com a metástase óssea há mais de 8 anos. Faço quimioterapia desde que as metástases foram descobertas. Também usei o tamoxifeno e tb fiz uso de quimioterapia oral. Agora estou fazendo o herceptin e o perjeta, além do prolia, a cada 21 dias, na veia. Está funcionando.
    Acho que o importante é manter o otimismo e tentar levar a vida o mais próximo do normal possível. Nunca perca a esperança.
    Um abraço carinhoso da Lou


  6. Continue sempre otimista e guerreira.


  7. Lou Says:

    Obrigada pela força Gisele.
    Manter-me otimista minimiza o problema e viver é uma aventura incrível. Amo a vida.
    Um abraço


Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. bjs Lou