Quimioterápicos em falta nas clínicas privadas

     Falta de medicação nos hospitais públicos já virou rotina, mas nos hospitais e clínicas privadas é muito estranho, principalmente quando se trata de quimioterápicos. O que está acontecendo? Será que é algum tipo de boicote dos laboratórios para aumentar o preço dos remédios que já são caríssimos ou é falta de controle no setor de compras das clínicas? Sinceramente não cheguei a nenhuma conclusão...
     Sexta-feira estava agendada minha segunda dose de ataque do Faslodex, mas o remédio estava em falta na clínica, pode?  Reclamei e disse que era inconcebível ficar sem medicação, principalmente no meu caso que estou iniciando um novo protocolo e a segunda dose do Faslodex é uma dose de ataque portanto, uma dose importante e que precisa ser feita na data certa.
     Depois de falar sei lá com quantos pessoas na quinta-feira e na sexta-feira pela manhã a clínica retornou minha ligação avisando que eu poderia fazer a medicação às 14 horas e eu estava lá pontualmente. Estranhei a demora no atendimento, mas rapidinho entendi o que estava acontecendo: é que somente depois da minha chegada na clínica a enfermagem se deu conta de que eu teria que tomar duas doses do remédio e só tinham conseguido uma única dose.
     Fiquei aguardando o pessoal da enfermagem conseguir a outra dose do Faslodex em outra clínica que estivesse disposta a emprestar a medicação para que eu pudesse usar o remédio. Uma das enfermeiras me informou que alguns remédios estão em falta, e não apenas o Faslodex, olha só que horror!  Ela me falou que o Herceptin também está em falta e eu já aproveitei para avisar que dia 1º de março tenho agendado a segunda dose desta medicação. Tomara que até lá já esteja regularizado o estoque dos quimioterápicos e afins em todas as clinicas do DF.
     Gente é um verdadeiro tormento você ter que se preocupar se a clínica onde você faz tratamento para curar o câncer vai fornecer os remédios na data certa ou não. Este tipo de tratamento precisa ter uma sequência ininterrupta de medicação na data certa  para fazer o efeito esperado.
     Concluindo, consegui fazer as duas doses do Faslodex que estavam previstas para sexta-feira. Meu corpo ficou bastante dolorido ontem, mas hoje estou me sentindo um pouco melhor. O Faslodex, sem dúvida, está cumprindo seu papel.
3 Responses
  1. Melhoras p/vc.Vamos torcer p/normalizar a situação por ai,se no DF tá assim,imagine quem está longe de onde todas as decisões são tomadas. Afffffffffff só Deus.
    Fique com Deus.
    Abraços
    Vânia


  2. Anônimo Says:

    Mama, ainda bem q seu espírito guerreiro gosta de uma briga, viu. Pq senão vc tava fodida. A falta de responsabilidade dos hospitais é incrível. Eles deveriam ter um mínimo de organização para controle de estoque. Não é possível q os pacientes tenham q se desgastar p conseguir fazer seus tratamentos, menos ainda em clínicas particulares. E vc só conseguiu tomar o remédio pq brigou, qm ficou calado deve estar esperando a medicação até agora. Um verdadeiro absurdo!


  3. Anônimo Says:

    Olá Lou.
    Sou Cris, e encontrei seu blog pesquisando no google sobre metástase óssea. Minha mãe teve um cancer de mama em 2005, e acabamos de descobrir depois de um aumento no CA15-3 e um PET CT que um osso dela esta com hipermetabolismo metabólico (SUV 4,3- ou seja, a doença danada esta trabalhando)... o médico iniciou o protocolo com quimioterapia e disse que por se tratar de um ponto único e em estágio inicial, teremos otimas chances de reversão completa (pensamento positivo nisso). Sua história me trouxe a força que eu precisava para ajudar minha mãe neste momento, pois vejo que entre altos e baixos (como qualquer pessoa tem na vida) não é o fim.
    Minha mãe também é super astral, assim como você. Espero que continue evoluindo bem em seu tratamento. Estarei passando por aqui sempre.
    Forte abraço, e obrigada por compartilhar sua história.
    Cristiane
    Campo Grande MS
    criis@terra.com.br


Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. bjs Lou