A neurologista que virou borboleta

Ninguém gosta de despedidas, ainda mais quando sabemos que não haverá volta. Aí, perdemos o chão.
Ela criou asas e voou para o céu, voou para junto do Senhor. Partiu sem dizer adeus deixando um enorme vazio em muitos corações. Ficou apenas o gosto amargo da saudade...
Deixou o corpo maltratado pela enfermidade, como uma borboleta deixa seu casulo. Agora finalmente está livre de todas as dores, de todos os medos e preocupações. Sua alma liberta flutua livre pelo espaço.
Foram setenta e sete anos, dos quais mais de cinqüenta dedicados a prática da medicina. Profissional incansável, não havia distância ou hora imprópria para o atendimento. Estava sempre pronta a aliviar o sofrimento das pessoas. Neurologia era sua especialidade. Era um desses raros profissionais que sabe escutar o paciente.
Trabalhou até o fim e só parou quando ela própria ficou doente e precisou ser internada. Foi apagando devagar como uma vela que é consumida pela chama.
Não houve oração capaz de segurá-la mais tempo, pois era chegada sua hora de se transformar numa outra forma de energia e como uma borboleta ela rompeu seu casulo e voou para bem alto, para juntinho de Deus.
16/dez/2009
2 Responses
  1. Lara Amaral Says:

    Que lindo, tia.

    Paz e bem para essa pessoa que viveu a vida de forma intensa e dedicada.

    Beijos.


  2. Pekeno, singelo e lindo...


    Sua missao por aqui e importante, sei o qto ta abalada e o qto ta sofrendo mas vc ta de pe p confortar kem + precisa agora...

    Quero um dia ter so metade de sua coragem mesmo diante da dor contida em momentos como esse!!

    Forca e paz a teu coracao pra encarar tudo que seu espirito esta destinado a fazer nessa vida, nesse mundo!


Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. bjs Lou