Conversando com remédios?

Neste final de semana encerro o terceiro ciclo do xeloda e sexta-feira já senti meu intestino mais solto. A simples lembrança de todo mal estar no final do segundo ciclo me dá até arrepios. Cruzes.
Esses dias estive conversando com minha terapeuta e contei que pela manhã minha primeira visão, assim que acordo, é da caixa do taikerb que fica em cima da mesinha do meu quarto. É uma caixa grande, branca, com uma faixa vermelha embaixo, um quarto de círculo na cor verde e outra faixa vinho. Olho para a caixa, ela olha para mim e o jeito é levantar e ir até ela. Pego a cartela com 5 comprimidos e converso com eles. Coisa de doido? Talvez...
Para ser bem franca, preciso admitir que não é bem uma conversa, mas um monólogo. Falo com eles que nunca fui muito fã de tomar remédio, mas já que eles são necessários vou engolir os 5, e o compromisso deles é me deixar curada. Curadinha da silva. Tomara que eles não sejam surdos, ou melhor, espero que sejam obedientes...
Esse papo estranho acontece todos os dias por volta das 6 horas da manhã e em seguida volto para a cama onde fico até as 7:30h quando levanto novamente para tomar outro remédio e aí o jeito é levantar de vez já que o povo mal educado que frequenta a academia ao lado da minha casa começa a chegar falando alto e não há quem aguente ficar na cama. Vou dar um conselho: nunca queiram ser vizinhos de academia, é um pé no saco. Os frequentadores já chegam cheios de adrenalina e falando alto como se estivessem num mercado persa, e danem-se os vizinhos. Eles não estão nem aí. Passei a odiar academia.
Hoje, dia do trabalhador, e a bagunça na academia teve início às 10h. Uma criatura está berrando no alto falante para animar a galera e o barulho está infernal. Minha filha que tinha a ilusão de poder dormir até mais tarde porque hoje não precisou sair cedo para o curso de pós graduação vai ter que se conformar e levantar. Haja paciência! Querem saber que música estou tendo o prazer de ouvir? Farofafá e a galera está gritando e assobiando. Eu devo merecer uma vizinhança como essa.
Acho melhor encerrar por aqui...
3 Responses
  1. Lara Amaral Says:

    Até eu que não sou vizinha tão próxima pude ouvir.

    Enfim, parece que cada um só se preocupa com seus problemas, né, tia?

    Beijo para vc.


  2. Issia Montes Says:

    Hj até a mim eles acordaram, mas insisti em ficar na cama o qto pude...

    E meu sono é pesada, difícil me acordar, só ronco me incomoda mas a academia hj conseguiu...


  3. Amiga se fosse eu mandaria esse povo cantar em outra freguesia. ninguém merece. Beijos, fica com DEUS e força na peruca kkkkkkkkk. Manda beijo pra SUSI.


Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. bjs Lou