O silêncio dos domingos

Gosto do silêncio que amanhece em minha casa no domingo. É que não abre a academia que funciona ao lado da minha casa e não acordo com as vozes altas de seus frequentadores que começam a chegar a partir das 6:30 da manhã, já cheios de adrenalina e falando alto como se estivessem num mercado persa.
Fico impressionada com a falta de educação generalisada. As pessoas estão, a cada dia que passa, mais egoistas, mais voltadas para seu próprio umbigo. Já reclamei várias vezes do barulho da academia e todos os dias é a mesma coisa: o pessoal chega falando alto e as vozes, no silêncio da manhã, rasgam o ar e entram direto em minha casa. Parece que estão conversando dentro do meu quarto. Odeio isso.
A academia é uma vizinha incômoda. Alguns professores dão aulas aos berros como se todos os alunos fossem surdos de nascença. A música é outro tormento. Se ainda fosse uma música boa, mas não, é aquela batida irritante que deixa qualquer um louco.
Acho que a academia e seu barulho irritante me incomodam tanto que deixei de frequentá-la. Simplesmente não consigo mais ir a academia. Passei a detestar.
Meu exercício predileto é caminhar. Adoro caminhar sem pressa de chegar. Caminho no finalzinho do dia, quando o sol está se pondo. Acho muito bom ir observando a natureza a minha volta, as pessoas indo e vindo e até o movimento ininterruptos dos carros passando. É muito diferente de uma academia com seus frequentadores tarados por corpos malhados, sarados... É sempre o mesmo assunto, as mesmas piadas. Frequentador de academia parece ter sido criado em série: é tudo igual. Os assuntos que rolam na academia são tão profundos quanto um pires... Além do mais não consigo entender a incoerência: falam tanto em saúde, mas exageram nos exercícios, nas noitadas, nas bebidas e nos remédios...
Mas gosto mesmo é do silêncio dos domingos. Quando o dia começa a acontecer só se ouve o canto dos pássaros. É uma verdadeira sinfonia. Depois, quando o sol esquenta fica apenas o silêncio...
1 Response
  1. inilta Says:

    Gostaria de complementar, que aos domingos não tem pedreiro quebrando tudo ao redor de nossas casas kkk. Adorei o texto o Heitor precisava ler! beijos.


Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. bjs Lou