Uma Visita Inesperada


Como não estou podendo participar da arteterapia por causa da mão inchada resolvi fazer a quimio na parte da manhã. Em seguida fui de carona com a Elvira até a casa da Helena onde passei a tarde.

Depois do almoço resolvemos ir até a Casa Cor, que está terminando hoje, para conferir as novidades em decoração. Eles conseguiram dar uma boa guaribada no Clube do Servidor que estava totalmente detonado. O jardim ficou agradável e vários ambientes estavam muito bem bolados. Exageros à parte, sempre vale a pena conferir a Casa Cor.

Voltamos para casa, mas antes demos uma passadinha na casa da D. Luci para falar um oi. Comentei com ela sobre o filhote de passarinho que caiu no meu jardim e ela contou que na semana passada recebera uma visita inesperada. Um gambá entrou no apartamento dela. Detalhe: ela mora no 5° andar. Ninguém conseguiu entender como um gambá conseguiu chegar no 5° andar de um bloco de apartamentos em plena Asa Sul.

O resgate de um filhote de, quem sabe um gavião é bem menos pitoresco do que ter um gambá na sala de um apartamento. Dª Luci contou que foi um verdadeiro auê o resgate do bicho feito pela polícia ambiental. O gambá mostrava os dentes, tentava morder, fugia para debaixo dos móveis driblando os policiais. Ela não sabia quem corria mais, se eram os homens ou o gambá.

Uma hora e meia depois da primeira tentativa de captura do bicho o gambá resolveu subir na grade da janela e lá acabou acuado. Um dos soldados o agarrou pelo rabo ao mesmo tempo em que segurou seu pescoço. Não foi fácil desprender o bicho da grade, mas finalmente o gambá acabou subjugado e preso na jaula, não sem antes dar uma boa mijada na janela e outra na porta de entrada. E lá se foi o gambá com os policiais, deixando sua marca registrada na sala do apartamento. Dª Luci disse que foi uma trabalheira danada conseguir eliminar o cheiro do xixi do gambá, mas finalmente a sala ficou cheirosa. E assim terminou a aventura de um gambá perdido num dos blocos de apartamentos de uma superquadra de Brasilia.

O bom de toda essa conversa com Dª Luci e sua filha foi saber que o pessoal do IBAMA nunca atende os pedidos de resgate de animais silvestres. Quem resolve o assunto, e de uma forma muito profissional e eficiente é a Polícia Ambiental. Basta ligar para o n° 190 e registrar a ocorrência que eles entram em contato com a polícia ambiental que vem resgatar o animal silvestre.

Aproveitei e lá da casa de Dª Luci liguei para o 190 explicando que caiu em meu jardim um filhote que parece ser de gavião. Eles pegaram todos os meus dados e ficaram de vir até minha casa resgatar o passarinho. Vamos aguardar.

Enquanto a polícia florestal não chega minha mãe se diverte cuidando do passarinho. Segundo ela o filhote já está achando que ela é mãe dele, pois é só vê-la que começa a piar pedindo comida. Ele já está conseguindo voar melhor e fica empoleirado em cima do box do banheiro. Quando ela entra no banheiro ele voa para perto dela piando. Ela o alimenta com carne moida que ele devora em pouco tempo.

Para variar minha mãe já está se afeiçoando ao filhote de gavião. Se dependesse dela e não fosse crime criar pássaro silvestre sem autorização ele seria seu mais novo animal de estimação.


Lou Montes

05/11/2009





3 Responses
  1. pirua Says:

    Acho que tem coisas que só acontecem com você e os que estão a sua volta, é incrível como vc sempre tem uma história pitoresca em sua vida. amei! beijos.


  2. Lara Amaral Says:

    Vixe, vai começar uma nova briga da polícia ambiental e dona Dolores, hehehe...

    Beijinho!


  3. Rezinha Says:

    Cruzes, um gambá que sobe elevador? Será que não deixaram o bicho lá de propósito, não?
    E nosso amigo Gremlin???? Já foram buscá-lo? Estou tão curiosa pra saber afinal, quem ele é!
    Beijos e bom fim de semana,
    Renata (nutri)


Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. bjs Lou