Sexo e Mastectomia

Há algum tempo escrevi um texto onde eu falava de sexo. Não um sexo casual ou apaixonado, com o parceiro certo ou uma pessoa qualquer. Eu me referia a sexo com uma mulher mastectomizada e todos os tabus e complexos que envolvem o ato. Vou dividir meu texto com vocês
.
Quem descobre ter câncer fica sempre apavorado, mas câncer de mama deixa muitas mulheres mais apavoradas ainda por causa da mutilação. A retirada da mama, para a maioria delas, é um problema quase sem solução.
Não foi o meu caso. Precisei fazer mastectomia radical, mas no mesmo procedimento cirúrgico fiz a reconstrução da mama com o músculo da barriga. Ficou perfeito, só faltando o mamilo que até hoje não tive ânimo para fazer. Só de pensar em enfrentar um centro cirúrgico me dá arrepios. Só entro naquela sala se não houver outra alternativa.
O grande problema enfrentado pelas mulheres mastectomizadas é o medo de expor seus corpos. Elas imaginam a rejeição estampada no rosto do parceiro ou acabam vendo mesmo essa rejeição. Isso gera outro problema, o sexo vira um terror. Só o simples pensamento de se despir e mostrar um corpo sem mama manda a libido pra muito longe. Elas ficam apavoradas e seus parceiros muitas vezes não sabem como lidar com a situação.
Muito desse medo está associado a essa apologia aos corpos perfeitos, malhados, sarados... As academias estão dando cria pelo mundo. Por todos os lugares aonde vamos encontramos academias prometendo corpos perfeitos. Os centros especializados em cirurgias estéticas e plásticas fazem até pacotes que podem ser quitados em suaves prestações para permitir que mulheres sem muitos recursos tenham a chance de fazer uma lipoaspiração ou outro procedimento qualquer (muitas vezes, ou na maioria das vezes, absolutamente desnecessário).
Uma mulher que precisou retirar uma das mamas e algumas vezes as duas enfrenta um grande problema com sua auto estima.
No meu caso precisei retirar apenas uma das mamas. O problema maior para mim eram as inúmeras cicatrizes espalhadas pelo corpo e também a retirada precoce do útero. Eu achava que não conseguiria mais ser uma mulher por inteiro depois de tantas cirurgias, radioterapia e quimioterapia. A minha libido parecia ter adormecido em berço esplêndido...
Um dia conheci um homem aparentemente rude até o momento que você o conhecia melhor. Era um homem negro, grande e forte. Seu olhar era meigo, o que contrastava com sua aparência rude, suas mãos enormes sabiam ser delicadas. Não chegamos a ter nenhum envolvimento mais íntimo, mas com seu carinho e cuidados percebi que ainda pulsava uma mulher dentro de mim.
Passado um tempo acabei me envolvendo com um rapaz mais jovem do que eu. Foi muito bom enquanto durou. Ele era muito ciumento e o que eu menos precisava depois de enfrentar um tratamento tão longo e doloroso para me curar de um câncer era me preocupar com ciúmes do parceiro. Isso, aliado a imaturidade, foi o que nos afastou.
O que ficou de bom nesse relacionamento foi compreender que cicatrizes ou uma falsa mama não fazem a menor diferença. O sexo não fica melhor ou pior porque temos um corpo sarado ou com excesso de gordurinhas localizadas. O sexo é bom quando estamos em sintonia com nosso parceiro. Para eles não faz a menor diferença um corpão violão, magrelo ou gordinho. Nós é que fazemos um drama desnecessário com os corpos que temos.
Além do mais, pode ter certeza, mulher gostosona serve apenas para ser exibida para os amigos. Na hora do vamos ver o que conta mesmo é a química entre os dois. Portanto, pode desencucar e exibir o corpinho do jeito que ele está, mesmo faltando pedaço ou cheio de cicatrizes. Quando rola um clima isso não faz a menor diferença.
Hoje, se alguém se interessa por mim não fico preocupada com o que ele vai pensar do meu corpo. Se me quiser terá que ser com o corpo que tenho, no mais, eu me garanto...
Lou Montes
6/12/2009
5 Responses
  1. inilta Says:

    Você, foi maravilhosamente sincera, amei! quantas vezes nos sentimos partidos, pedacinhos, trapos humanos e até mesmo nada. Acredito que a maior cicatriz é aquela de nossas almas. Bjs.


  2. Lara Amaral Says:

    Tem toda razão, tia. Amei o texto! O que importa é o envolvimento, a química, o amor.

    Beijos.


  3. Ana Paula - Sampa Says:

    Tia Lou, Adorei este texto... é uma grande verdade sobre a vida!
    Parabéns, você é uma vencedora!


  4. Eu ja tinha lido esse texto mas vamu la!

    Vc consegue realmente passar pra gente o qto se importa ou não com determinada coisa, vc é lutadora e vencedora... EU AMO VC!


    Quisera eu ser metade da mulher que vc é, mesmo com todas essas cicatrizes que vc descreve... Se um dia eu conseguir ser 1/4 do que vc é já serei vencedora! Como eu já disse aqui vc é exemplo pra mim...

    Ah mew eu sou bruta, sou chata, sou difícil, n sei demonstrar com afeto o qto amo alguém... Posso ta sendo ridícula ao dizer que consigo fazê-lo com palavras na net ou em qq texto mas realmente essa é a única forma que consigo externar isso... Simplesmente AMO VC!


  5. Karen Schott Says:

    Lindaaa! Adorei parabéns, é exatamente assim! Obrigada por partilhar sua experiência!Beijoosss!


Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. bjs Lou