Um Giro pela Bretanha - Dinard e Saint Suliac (13 out 2017)

      Fomos cedo ao mercado fazer compras para o café da manhã. Quantas coisas gostosas: uma infinidade de pães, queijos, biscoitos, vinhos. Uma verdadeira delícia aquela orgia de sabores, para atender todos os paladares.
      Nosso primeiro café da manhã em Dinard foi um sucesso. Pães, queijos diversos, geleias, hum... nos deliciamos sem a menor pressa de terminar.  Depois do café fomos passear em Saint Suliac, uma pequena cidade medieval, muito bem preservada, que fica próxima de Dinard.
      Saint Suliac faz parte de uma associação que tem por objetivo a promoção e a preservação de pequenas comunidades rurais ou que tenham um rico patrimônio histórico. Cerca de 160 comunidades pertencem a essa Associação. As regras são rígidas e os requisitos para fazer parte da associação são: localização, pertencer ao programa de proteção ao patrimônio e ter o limite mínimo de 2000 habitantes, entre outras exigências. 
      Saint Suliac é uma cidadezinha linda e charmosa. Parece cristalizada no passado com suas casinhas de pedra e jardins floridos bem cuidados. Sua história está bem preservada e, apesar de já estarmos no século 21, dos carros de alta tecnologia estacionados em algumas garagens, seus costumes e modo de vida parecem ser de outra era... Um passado remoto, que parece perdido no tempo.
      Visitamos a igreja, caminhamos pelas ruas estreitas de pedras, sentamos para descansar em toscos bancos de madeira. Quando a fome apertou resolvemos voltar para Dinard, mas todos os restaurantes estavam fechados pois já passava das 14h. Tivemos que nos contentar em comer uma omelete no único lugar que encontramos aberto.
      Depois desse almoço bem franciscano fomos caminhar pela Promenade Clair de Lune. Eu e Helena observamos que ela está toda reformada e bem mais segura do que há quatro anos, quando visitamos Dinard pela primeira vez.
      A promenade fica na encosta, à beira mar. Em alguns trechos é bastante estreita e perigosa. Quando a maré está alta não dá para caminhar por lá porque existe o risco da onda quebrar em cima dela e jogar a pessoa no mar lá embaixo, em meio a muitas pedras. No alto da encosta ficam algumas mansões que foram construídas na época em que Dinard, localizada na Costa de Esmeralda, era um balneário chique, com hotéis de luxo e mansões cinematográficas. Era considerada a Riviera Francesa da moda lá pelos anos 20.
      Depois de alguns anos de ostracismo Dinard está voltando a ser uma praia cobiçada no verão. Nesta época do ano, quando está mais frio e acontecem as grandes marés, que chegam a subir até 15 metros na maré alta, a cidade está muito tranquila, quase vazia. Sua população, na grande maioria, parece muito idosa. Teve um dia em que eu e minhas amigas estávamos sentadas em frente a janela do restaurante, que dava para a rua. Uma de minhas amigas, com mais de 80 anos, exclamou de repente "me sinto criança nesta cidade". Olhei para fora e vi vários idosos, apoiados em suas bengalas, competindo em idade com Matusalém. Tive que soltar uma sonora gargalhada.
     
     
2 Responses
  1. Hahaha mama! é uma cidade graciosa! E com vários velhinhos mesmo! Mas o que mais me impressionou foi a quantidade de pessoas nadando naquele mar gelado! Cruzes! Hahaha


  2. Lou Says:

    Nos dias de marés altas, por mais gelado que o tempo esteja, o mar fica cheio de surfistas, além dos banhistas habituais. É muita coragem de enfrentar água gelada...


Postar um comentário

Obrigada pelo comentário. bjs Lou